blog shbarcelona català   blog shbarcelona español   blog shbarcelona français   blog shbarcelona english   blog shbarcelona russian   blog shbarcelona   blog shbarcelona   blog shbarcelona
Esporte

Os portugueses do FC Barcelona

Joana
Escrito por Joana

É uma das equipas mais aclamadas no mundo. Milhões de pessoas param para assistir aos jogos do FC Barcelona e vibram com as suas vitórias e conquistas. Nas suas equipas, tem sempre grande parte dos nomes mais sonantes do futebol internacional. Saídos de Portugal, eis alguns dos que ajudaram a construir a história da equipa catalã.

Os jogadores

Luís Figo  – Chegou a Barcelona em 1995. Representava o Sporting Clube de Portugal, clube no qual realizou toda a sua formação e através do qual se começou a notabilizar enquanto profissional. Nesse mesmo ano, no entanto, o jogador esteve envolvido em polémica, ao assinar contrato com dois clubes italianos ao mesmo tempo: o Parma e a Juventus. Este caso fez com que ficasse impedido pela Federação Italiana de Futebol de jogar no país durante dois anos e, como ainda assim se recusou a renovar pelo Sporting, acabou transferido para o FC Barcelona por um valor muito inferior ao que seria de esperar.

A sua adaptação decorreu de forma natural e cedo começou a juntar fãs entre os adeptos catalães. Os títulos iam também aparecendo (2 campeonatos, 2 Taças do Rei, 1 Supertaça de Espanha, 1 Supertaça Europeia e 1 Taça das Taças) e Figo chegou mesmo a capitão dos blaugranas. No meio de todo este sucesso, o inesperado acabou por acontecer. Em 2000, sem que nada o fizesse prever e sem qualquer explicação, o português assina contrato pelo grande rival do Barcelona, o Real Madrid, e torna-se num dos poucos a ter jogado nos dois clubes. A “traição” não foi perdoada na Catalunha e Figo passou a ser chamado de “Pesetero” (uma vez que os adeptos viram a mudança como uma questão meramente monetária).

Foto via Freepik

Foto via Freepik

Ricardo Quaresma – Formado também no Sporting, chegou à equipa principal com 17 anos e, jogando na equipa na mesma altura de Cristiano Ronaldo, chegou mesmo a ser titular em detrimento daquele que é agora considerado o melhor jogador do mundo. Sai para o Barcelona no ano de 2003, depois do Sporting não ter conquistado qualquer título e estar obrigado a vender jogadores para facturar.

A sua carreira em Espanha não foi, no entanto, duradoura nem teve o êxito que se esperava. Apesar de no seu primeiro jogo oficial ter marcado um dos golos da vitória, Quaresma fez apenas 10 jogos como titular e marcou só um golo. A polémica instalou-se durante o Euro 2004, no qual não esteve presente, ao afirmar que não voltava ao clube catalão enquanto o treinador, Frank Rijkaard, lá estivesse.

Acabou por voltar a Portugal em 2004, desta vez para o FC Porto e, actualmente, sabemos que nunca chegou a ter a carreira internacional de sucesso que fez prever.

Deco – Naturalizou-se português e foi no FC Porto que atingiu a notoriedade: para além de competições internas, venceu a Taça UEFA em 2003 e a Liga dos Campeões em 2004. Sai para Barcelona por uma questão de interesse desportivo e simpatia pelo clube, uma vez que tinha na altura melhores propostas no que a dinheiro diz respeito, e o negócio envolve a vinda para o Porto de Ricardo Quaresma.

Jogou ao serviço dos blaugranas ao lado de nomes como Ronaldinho Gaúcho, Messi e Xavi e acabou por saír em 2007 devido a uma quebra de rendimento que, sobretudo os adeptos, não deixaram passar em branco.

Em 2014 teve o seu jogo de despedida, no Estádio do Dragão, com antigos colegas da equipa do FC Porto 2004 e do FC Barcelona 2006.

Mas também treinador e guarda redes

Foto via Freepik

Foto via Freepik

José Mourinho  – É como adjunto de Bobby Robson que começa os primeiros passos enquanto treinador e que começa o seu percurso no FC Barcelona. Desde cedo se percebeu que Mourinho era mais do que um mero adjunto e espectador, tanto que, quando Bobby Robson deixa o clube catalão, ele acaba por continuar e ficar como adjunto de Louis Van Gaal. Todos admitiam que o português era profundo conhecedor do futebol espanhol e a sua importância na equipa chegou mesmo a ser confirmada pelos jogadores que representavam o clube na altura.

Foi, no entanto, no Futebol Clube do Porto que se afirmou definitivamente como técnico e depois, no Chelsea, que se apelidou a si próprio de Special One, nome pelo qual acabou por ficar conhecido no mundo do futebol.

Vitor Baía – Chegou a ser o guarda redes mais caro do mundo. A sua transferência do FC Porto para o Barcelona atingiu valores nunca antes vistos para um jogador da sua posição. Chegou ao clube em 1996 e fez uma primeira época de grande nível. Contudo, acabou por se lesionar em 2007 e deixou de ser opção para o técnico Louis Van Gaal. Optou por voltar a Portugal, em 1999, e relançar a carreira novamente ao serviço da principal equipa do Porto. Foi o jogador com mais troféus colectivos a nível mundial.

Artigo relacionado: Principais jogadores brasileiros na história do FC Barcelona

Avalie este post

Sobre o autor

Joana

Joana

Joana é uma escritora portuguesa dotada de uma verdadeira paixão pela palavra.

Deixe um comentário