blog shbarcelona català   blog shbarcelona español   blog shbarcelona français   blog shbarcelona english   blog shbarcelona russian   blog shbarcelona russian   blog shbarcelona   blog shbarcelona
Conheça

O que são plataformas de economia colaborativa?

Homem carrega a caixa do Uber Eats enquanto faz entrega
Marcel
Escrito por Marcel
Avalie este post

As novas tecnologias e o uso de internet estão dando lugar a novos sistemas para nos relacionarmos com o mundo. Sem ir mais longe, há alguns anos parecia impensável que pudéssemos aproveitar de portais que impulsionariam a criação de novos negócios e fomentariam a particiàção social com ânimo de melhor a nossa sociedade.

A economia colaborativa, também chamado de consumo colaborativo, consiste em compartilhar ou intercambiar uma série de produtos, bens ou serviços através do uso de algumas plataformas eletrônicas. A ideia é compartilhar em vez de vender. Hoje, neste artigo de ShBarcelona, nos falamos dele.

Artigo relacionado: Conselhos para alugar um apartamento turístico neste verão em Barcelona

O que são as plataformas colaborativas e como funcionam?

Usuário inícia o aplicativo Uber no celular

Foto de freestocks-photos via Pixabay

Esta é a consequência de que no mundo tenham surgido uma série de plataformas eletrônicas, especialmente idealizadas para o intercâmbio de bens e serviços. Dado o seu auge atual, o número vai aumentando, competindo braço a braço com o formato de empresa tradicional.

Plataformas como Uber, Wallapop, Airbnb ou BlablaCar foram se apoderando do setor, sendo a vida que necessitam muitas pessoas para melhorar a sua qualidade de vida. Contudo, isso não significa que não estejam isentas de polêmica. É o caso do Uber, aplicativo baseado no serviço de transporte entre particulares, que provocou a reclamação dos taxistas profissionais ao não poder competir economicamente com a plataforma pelo causa de suas licenças.

A economia colaborativa surgiu na Espanha no ano de 2012. Em um primeiro momento, apareceu no setor de alojamentos turísticos para continuar no mercado imobiliário ou no serviço de transporte de viajantes. Segundo os dados obtidos pelo CNMC no ano de 2017, ao menos 25% da população espanhola havia utilizado alguma destas plataformas uma vez ao ano.

A principal razão da qual os usuário a utilizam está na economia de dinheiro pressuposta, salvo em caso da realização de serviços ou atividades em concreto, cujo caso é motivo que se adaptem melhor aos horários e necessidades do interessado.

Artigo relacionado: É uma boa hora para investir em bens imóveis?

Homem segura a chave de um carro

Foto de kaboompics via Pixabay

En los directorios del Consumo Colaborativo podrás encontrar mayor información sobre estas plataformas, en las que ya es posible encontrar canguros, recuperar el dinero de unos billetes de tren o compartir un vehículo.

Nos diretórios de Consumo Colaborativo, você poderá encontrar mais informações sobre estas plataformas, dos quais já é possível encontrar babás, recuperar o dinheiro de passagens de trem ou compartilhar um veículo.

Algumas das plataformas que mais conhecemos se baseiam na compra-venda de todo tipo de artigos de segunda mão, como Vibbo, Wallapop, Tablón de Anuncios ou Chicfy. Contudo, também apareceu plataformas de grande interesse, onde particulares oferecem habitações ou alojamentos em suas residências. É o caso de Rentalia, Airbnb, Workaway o Bed y Casa, entre outras.

Por sua parte, as plataformas que oferecem deslocamentos em carro entre diferentes cidades se destacam as seguintes: Voy en Coche, Shareling, Amovens ou a conhecida Blablacar. Se falamos de deslocamentos urbanos, as plataformas de economia colaborativa que se encargam de oferecer este serviço são: Taxi Sostenible, Cabify, MokMokCars ou Carpling. Depois, teríamos as dedicadas ao aluguel de furgões e autocaravanas, como é o Yescapa.

Por outro lado, temos o crowdfunding, um recurso de cooperação coletiva que consiste em utilizar internet para financiar certos projetos mediante o uso de uma rede com o objetivo de conseguir dinheiro ou recursos. Este tipo de financiamento não para de crescer e os tipos de projetos originados são vários, desde solidários até criativos ou empresarias.

Dessa forma, o crowdfunding dá lugar ao financiamento de certos projetos de plataformas como Potlatch ou Lanzanos. Se falamos de tarefas ou trabalhos, devemos mencionar outras páginas, como Trabeja, Swapsse ou Etece. Também existe o crowdfunding associado a projetos ambientais, como o Greenfunder, Sunfunder ou Mosaic.

O que mais você conhece sobre as plataformas de economia colaborativa?

Sobre o autor

Marcel

Marcel

Deixe um comentário