blog shbarcelona català   blog shbarcelona español   blog shbarcelona français   blog shbarcelona english   blog shbarcelona russian   blog shbarcelona russian   blog shbarcelona   blog shbarcelona
Arte e cultura

O Pavilhão Alemão de Barcelona

Imagem da parte externa do Pavilão Alemão de Barcelona
Rodrigo
Escrito por Rodrigo
Avalie este post

Quando um visitante chega a Barcelona, seja para passar uns meses ou por apenas uns dias, se vê envolvido por uma atmosfera tão maravilhosa que, às vezes, não tem tempo para apreciar todos os tesouros que a Ciudad Condal guarda.

O Pavilhão Alemão de Mies van der Rohe é uma dessas pequenas joias que deve ser procurada, já que não está à vista imediata do visitante. Sua história é a história de milhares de pavilhões construídos durante as exposições universais.

Pensado como expositor temporário, em 1929, tinha por objetivo chamar a atenção do público com uma nova linguagem arquitetônica, símbolo do vanguardismo de sua época.

Suas dimensões, no entanto, distam muito do exibicionismo da arquitetura atual. Neste artigo, ShBarcelona conta um pouco sobre o Pavilhão Alemão de Barcelona.

Artigo relacionado: Expressões artísticas catalãs – parte 3: a arquitetura modernista

O Pavilhão Alemão, uma das joias da exposição de 1929

Imagem do interior do Pavilhão Alemão de Barcelona

Foto por VisualHunt

As frases do arquiteto alemão Mies, ‘Menos é mais‘ e ‘Deus está em todos os detalhes‘ ficam plasmadas nessa pequena joia de vida convulsa, situada no distrito de Sants-Montjuïc.

Depois da exposição universal, foi desmantelado e vendido por partes. Uma iniciativa da Prefeitura de Barcelona permitiu que o pavilhão começasse a ser reconstruído em 1983.

No Pavilhão Alemão de Barcelona, pode-se observar a grandeza dos detalhes, fielmente mantidos na reconstrução, finalizada em 1986. Os espaços fluem sem limites, com mínimos pilares de aço sustentando uma cobertura contínua, e a decoração sustentada unicamente pela marcante simetria geométrica dos blocos de mármore, travertino e ônix.

Os materiais e espaços, sem ornamentos supérfluos que tiram a atenção, dizem tudo: menos é mais.

Imagem de uma estátua no Pavilhão Alemão de Barcelona

Foto por VisualHunt

No pavilhão, foram reproduzidas pela primeira vez os conceitos do Neoplasticismo.

É um espaço sem portas, enquadramentos ou janelas. A riqueza dos materiais, das telas opacas às de cristal, cria uma intensa conexão entre o interior e o exterior, uma continuidade de um espaço para outro.

Nada interrompe ou põe em dúvida a sensação de singularidade absoluta que existe no local. Na Fundação Mies van der Rohe, você terá acesso às informações sobre o pavilhão original e seu processo de reconstrução.

Durante sua estadia em Barcelona, aproveite a oportunidade de compreender melhor as origens da arquitetura atual, e passe umas horas nesse maravilhoso pavilhão, que nos convida à introspecção pausada e à tranquilidade de um lugar incomparável.

Artigo relacionado: As sete maravilhas de Barcelona

A cidade de Barcelona oferece diversas opções para seus visitantes. Se for passar uma temporada na capital catalã, terá bastante tempo para conhecer as particularidades da arquitetura do século XX. Você se encantará com um ambiente que sempre soube apreciar e conservar seu legado arquitetônico.

Já visitou o Pavilhão Alemão de Barcelona? O que achou?

Sobre o autor

Rodrigo

Rodrigo

Tradutor, professor de idiomas e redator do portal de notícias Aqui Catalunha, o primeiro em língua portuguesa exclusivamente dedicado à Catalunha.

Deixe um comentário